Vida dos Santos

Calendário de Eventos

Mês anterior Dia anterior Dia seguinte Próximo mês
Ver por ano Ver por mês Ver por semana Ver hoje Pesquisar Ir para o mês

Santa Rosa de Viterbo

Sexta-feira, 04 Setembro 2020por Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar.Visualizações : 1103

6Mar S. Rosa de ViterboSanta Rosa de Viterbo nasceu por volta do ano 1233 em Viterbo, Itália e faleceu a 6 de março de 1252 na mesma cidade. Santa Rosa de Viterbo era filha de João e Catarina (Giovanni e Caterina) e era oriunda duma família humilde de Viterbo (Itália). Desde cedo os seus pais a educaram na Fé católica.

Não há dados oficiais que comprovem os fatos narrados sobre a vida de Santa Rosa de Viterbo, contudo a tradição diz-nos que tenra idade já manifestava experiências místicas vivendo asceticamente (procurando o desenvolvimento espiritual) e praticando severas penitências.

O pai de Santa Rosa de Viterbo era jardineiro do Converto Santa Maria das Rosas, próximo de Viterbo. Na Idade Média, era comum que a função do jardineiro desse Convento passasse de pai para filho. João era idoso e não possuía descendente. Então ele e a mulher Catarina rezavam a Santa Isabel e São Zacarias (http://www.paroquia-almancil.pt/utilidades/vida-dos-santos/icalrepeat.detail/2018/11/05/37632/-/s-zacarias-e-s-isabel.html) pedindo um herdeiro. As preces do casal foram atendidas, contudo não tiveram um descendente homem, mas sim uma filha a que colocaram o nome de Rosa.

Santa Rosa de Viterbo era uma criança carismática, notável pela sua santidade e seus poderes milagrosos desde pequena, além um amor incondicional a Cristo e à Virgem Maria.

Quando tinha quatro anos faleceu uma tia materna de Santa Rosa de Viterbo e, segundo a tradição popular, Rosa chegou diante do caixão e chamou a sua tia com voz imperiosa. Diante de quantos assistiam estarrecidos a vida voltou ao corpo e a pequena Rosa passou localmente a ser considerada uma verdadeira santa.

A fama de milagrosa levou Santa Rosa de Viterbo a viver como uma reclusa. Retirou-se num estreito quarto de casa, de onde só saia para ir à Igreja vizinha. Impunha-se rigorosas penitências. Neste género de vida ficou dos quatro aos dez anos de idade.

A extrema fraqueza produzida pelos jejuns e disciplinas a que se entregou, fizeram com que Santa Rosa de Viterbo ficasse gravemente doente. No dia 23 de julho de 1245, foi atacada por uma forte febre e encontrava-se à beira da morte. Na sua cama de repente ajoelhou-se e balbuciou o nome da Virgem Maria, ficou ali por um longo tempo, então levantou e sorriu, estava sem febre. Contou então que a Virgem lhe apareceu e lhe confiara uma missão: visitar as igrejas de São João Batista, Santa Maria do Oiteiro e São Francisco. E depois da Missa fosse pedir sua admissão na Ordem da Penitência de São Francisco - hoje chamada de Ordem Franciscana Secular.

Nesse ano a cidade de Viterbo, fiel ao Papa, caiu nas mãos do imperador Frederico II. A cidade estava nas mãos dos hereges. Então, em oração Rosa teve uma visão de Cristo Crucificado com o coração em chamas. Santa Rosa de Viterbo saiu pelas ruas para pregar com um crucifixo nas mãos. A notícia correu toda cidade, muitos sentiram-se estimulados na fé, e regressaram à Fé Católica.

Santa Rosa de Viterbo começou a pregar diariamente. Numa ocasião em que a multidão era tão grande que não a podia ver apesar da santa ter subido a uma pedra, Santa Rosa de Viterbo começou a levitar até poder ser vista por todos. A notícia deste milagre atestada por milhares de testemunhas, percorreu a Itália.

A pregação de Santa Rosa transformou a cidade de Viterbo. Pecadores empedernidos convertiam-se. Hereges voltavam ao seio da igreja e, principalmente, os partidários italianos do imperador revoltado, reconciliavam-se com seu soberano – o Sumo Pontífice.

Devido a sua pregação diária, Santa Rosa de Viterbo representava uma ameaça para as autoridades da cidade, então em janeiro de 1250 o prefeito assinou uma ordem, condenando Santa Rosa de Viterbo ao exílio, afirmando que ela ocasionava revolta entre o povo. Frederico II temendo que houvesse revolta em Viterbo, devido à prisão de Rosa, mandou que a jovem fosse deportada com os seus pais. Assim Santa Rosa de Viterbo foi morar em Soriano nel Cimino com os seus pais.

Contudo a fama da jovem santa já havia chegado também a Soriano e assim que chegaram à cidade uma multidão correu para ouvi-la. Santa Rosa de Viterbo começou a pregar imediatamente.

Na noite de 5 de dezembro 1250, enquanto Santa Rosa de Viterbo pregava numa praça pública, na cidade de Soriano recebeu a visita de um anjo, que lhe revelou que o imperador Frederico II morreria dentro de poucos dias.

Com a morte de Frederico II, Santa Rosa pode regressar a Viterbo.

Faleceu a 6 de março de 1252.

Depois desta cerimónia a Santa só foi “canonizada” pelo povo, porque curiosamente o processo nunca foi promulgado. O Papa Eugênio IV, e, principalmente, o Papa Calixto III, mandaram continuar os trabalhos do Processo de Canonização. Em 1457 o processo ficou pronto, mas Calixto III morreu sem que chegasse a promulgar o decreto de canonização. Curiosamente, a canonização de Rosa nunca chegou a termo, dentro dos trâmites exigidos. Mesmo assim, foi integrada ao Martirológio Romano, e confirmada por sucessivos pontífices em diversos documentos.

Em setembro de 1929, o Papa Pio XI, declarou Santa Rosa de Viterbo a padroeira da “Juventude Feminina da Ação Católica Italiana”.

 

Santa Rosa de Viterbo é padroeira das pessoas exiladas, das pessoas rejeitadas pelas ordens religiosas, e da cidade de Viterbo, Itália.

Santa Rosa de Viterbo é representada como uma figura jovem e mística que perambulava pelas ruas de Viterbo com uma cruz nas mãos.

 

Santa Rosa de Viterbo rogai por nós!

Voltar

Autenticação

Registar

*
*
*
*
*
*

Fields marked with an asterisk (*) are required.

Liturgia

Secretariado Nacional de Liturgia

Agenda Litúrgica
  • Verde – Ofício da féria. Missa à escolha (cf. p. 19, n. 18). L 1 Ex 33, 7-11 – 34, 5b-9. 28; Sal 102 (103), 6-7. 8-9. 10-11. Ev Mt 13, 36-43 * Na Diocese do Porto (Porto) – S. Pantaleão, mártir – MF * Na Ordem Carmelita e na Ordem dos Carmelitas Descalços – B. Tito Brandsma, presbítero e mártir – MO e MF * Na Ordem Franciscana (II Ordem) – B. Maria Madalena Martinengo, virgem, da II Ordem – MF * Na Ordem dos Franciscanos Capuchinhos – B. Maria Madalena Martinengo, virgem, da II Ordem – MF * Na Instituição Teresiana – I Vésp. de S. Pedro Poveda Castroverde.

Próximos Eventos

Não foram encontrados eventos

Santo do dia

Sem eventos

Diocese do Algarve

Diocese do Algarve

Website Oficial da Diocese do Algarve

Horário de visitas da Igreja de S. Lourenço

Pode visitar a Igreja de S. Lourenço nos seguintes horários

 

De 15 de Abril a 15 de Outubro (Horário de Verão)

 Segunda-feira: 15h00 - 18h00

Terça-feira a Sábado: 10h00 - 13h00 e 15h00 - 18h00

 

De 16 de Outubro a 14 de Abril (Horário de Inverno)

Segunda-feira: 15h00 - 17h00

Terça-feira a Sábado: 10h00 - 13h00 e 15h00 - 17h00

 

 Ao Domingo encontra-se encerrada para visitas.

Entradas pagas

Visitas

Visitas
3945
Artigos
5
Favoritos web
18