Vida dos Santos

Calendário de Eventos

Ver por ano Ver por mês Ver por semana Ver hoje Pesquisar Ir para o mês

Santa Rosa de Viterbo

Sábado, 04 Setembro 2021por Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar.Visualizações : 1082

6Mar S. Rosa de ViterboSanta Rosa de Viterbo nasceu por volta do ano 1233 em Viterbo, Itália e faleceu a 6 de março de 1252 na mesma cidade. Santa Rosa de Viterbo era filha de João e Catarina (Giovanni e Caterina) e era oriunda duma família humilde de Viterbo (Itália). Desde cedo os seus pais a educaram na Fé católica.

Não há dados oficiais que comprovem os fatos narrados sobre a vida de Santa Rosa de Viterbo, contudo a tradição diz-nos que tenra idade já manifestava experiências místicas vivendo asceticamente (procurando o desenvolvimento espiritual) e praticando severas penitências.

O pai de Santa Rosa de Viterbo era jardineiro do Converto Santa Maria das Rosas, próximo de Viterbo. Na Idade Média, era comum que a função do jardineiro desse Convento passasse de pai para filho. João era idoso e não possuía descendente. Então ele e a mulher Catarina rezavam a Santa Isabel e São Zacarias (http://www.paroquia-almancil.pt/utilidades/vida-dos-santos/icalrepeat.detail/2018/11/05/37632/-/s-zacarias-e-s-isabel.html) pedindo um herdeiro. As preces do casal foram atendidas, contudo não tiveram um descendente homem, mas sim uma filha a que colocaram o nome de Rosa.

Santa Rosa de Viterbo era uma criança carismática, notável pela sua santidade e seus poderes milagrosos desde pequena, além um amor incondicional a Cristo e à Virgem Maria.

Quando tinha quatro anos faleceu uma tia materna de Santa Rosa de Viterbo e, segundo a tradição popular, Rosa chegou diante do caixão e chamou a sua tia com voz imperiosa. Diante de quantos assistiam estarrecidos a vida voltou ao corpo e a pequena Rosa passou localmente a ser considerada uma verdadeira santa.

A fama de milagrosa levou Santa Rosa de Viterbo a viver como uma reclusa. Retirou-se num estreito quarto de casa, de onde só saia para ir à Igreja vizinha. Impunha-se rigorosas penitências. Neste género de vida ficou dos quatro aos dez anos de idade.

A extrema fraqueza produzida pelos jejuns e disciplinas a que se entregou, fizeram com que Santa Rosa de Viterbo ficasse gravemente doente. No dia 23 de julho de 1245, foi atacada por uma forte febre e encontrava-se à beira da morte. Na sua cama de repente ajoelhou-se e balbuciou o nome da Virgem Maria, ficou ali por um longo tempo, então levantou e sorriu, estava sem febre. Contou então que a Virgem lhe apareceu e lhe confiara uma missão: visitar as igrejas de São João Batista, Santa Maria do Oiteiro e São Francisco. E depois da Missa fosse pedir sua admissão na Ordem da Penitência de São Francisco - hoje chamada de Ordem Franciscana Secular.

Nesse ano a cidade de Viterbo, fiel ao Papa, caiu nas mãos do imperador Frederico II. A cidade estava nas mãos dos hereges. Então, em oração Rosa teve uma visão de Cristo Crucificado com o coração em chamas. Santa Rosa de Viterbo saiu pelas ruas para pregar com um crucifixo nas mãos. A notícia correu toda cidade, muitos sentiram-se estimulados na fé, e regressaram à Fé Católica.

Santa Rosa de Viterbo começou a pregar diariamente. Numa ocasião em que a multidão era tão grande que não a podia ver apesar da santa ter subido a uma pedra, Santa Rosa de Viterbo começou a levitar até poder ser vista por todos. A notícia deste milagre atestada por milhares de testemunhas, percorreu a Itália.

A pregação de Santa Rosa transformou a cidade de Viterbo. Pecadores empedernidos convertiam-se. Hereges voltavam ao seio da igreja e, principalmente, os partidários italianos do imperador revoltado, reconciliavam-se com seu soberano – o Sumo Pontífice.

Devido a sua pregação diária, Santa Rosa de Viterbo representava uma ameaça para as autoridades da cidade, então em janeiro de 1250 o prefeito assinou uma ordem, condenando Santa Rosa de Viterbo ao exílio, afirmando que ela ocasionava revolta entre o povo. Frederico II temendo que houvesse revolta em Viterbo, devido à prisão de Rosa, mandou que a jovem fosse deportada com os seus pais. Assim Santa Rosa de Viterbo foi morar em Soriano nel Cimino com os seus pais.

Contudo a fama da jovem santa já havia chegado também a Soriano e assim que chegaram à cidade uma multidão correu para ouvi-la. Santa Rosa de Viterbo começou a pregar imediatamente.

Na noite de 5 de dezembro 1250, enquanto Santa Rosa de Viterbo pregava numa praça pública, na cidade de Soriano recebeu a visita de um anjo, que lhe revelou que o imperador Frederico II morreria dentro de poucos dias.

Com a morte de Frederico II, Santa Rosa pode regressar a Viterbo.

Faleceu a 6 de março de 1252.

Depois desta cerimónia a Santa só foi “canonizada” pelo povo, porque curiosamente o processo nunca foi promulgado. O Papa Eugênio IV, e, principalmente, o Papa Calixto III, mandaram continuar os trabalhos do Processo de Canonização. Em 1457 o processo ficou pronto, mas Calixto III morreu sem que chegasse a promulgar o decreto de canonização. Curiosamente, a canonização de Rosa nunca chegou a termo, dentro dos trâmites exigidos. Mesmo assim, foi integrada ao Martirológio Romano, e confirmada por sucessivos pontífices em diversos documentos.

Em setembro de 1929, o Papa Pio XI, declarou Santa Rosa de Viterbo a padroeira da “Juventude Feminina da Ação Católica Italiana”.

 

Santa Rosa de Viterbo é padroeira das pessoas exiladas, das pessoas rejeitadas pelas ordens religiosas, e da cidade de Viterbo, Itália.

Santa Rosa de Viterbo é representada como uma figura jovem e mística que perambulava pelas ruas de Viterbo com uma cruz nas mãos.

 

Santa Rosa de Viterbo rogai por nós!

Voltar

Autenticação

Registar

*
*
*
*
*
*

Fields marked with an asterisk (*) are required.

Liturgia

Secretariado Nacional de Liturgia

Agenda Litúrgica
  • S. João de Ávila, presbítero e doutor da Igreja – MF Branco – Ofício da féria ou da memória. Missa da féria ou da memória, pf. pascal. L 1 At 16, 11-15; Sal 149, 1-2. 3-4. 5-6a e 9b Ev Jo 15, 26 – 16, 4a * Na Ordem Hospitaleira de S. João de Deus – S. João de Ávila, presbítero e doutor da Igreja, Diretor Espiritual de S. João de Deus – MO * Na Ordem de São Domingos – S. Antonino de Florença, bispo – MO * Na Congregação dos Sagrados Corações – S. Damião de Veuster, apóstolo dos leprosos – MO * Na Congregação da Missão e na Companhia das Filhas da Caridade – S. Luísa de Marillac, religiosa cofundadora – SOLENIDADE (transferida) * No Instituto das Filhas de Maria Auxiliadora – S. Maria Domingas Mazzarello, virgem, cofundadora do Instituto – SOLENIDADE (transferida)

Próximos Eventos

Não foram encontrados eventos

Diocese do Algarve

Diocese do Algarve

Website Oficial da Diocese do Algarve

Horário de visitas da Igreja de S. Lourenço

Pode visitar a Igreja de S. Lourenço nos seguintes horários

 

De 15 de Abril a 15 de Outubro (Horário de Verão)

 Segunda-feira: 15h00 - 18h00

Terça-feira a Sábado: 10h00 - 13h00 e 15h00 - 18h00

 

De 16 de Outubro a 14 de Abril (Horário de Inverno)

Segunda-feira: 15h00 - 17h00

Terça-feira a Sábado: 10h00 - 13h00 e 15h00 - 17h00

 

 Ao Domingo encontra-se encerrada para visitas.

Entradas pagas

Visitas

Visitas
3945
Artigos
5
Favoritos web
18