Vida dos Santos

Calendário de Eventos

Ver por ano Ver por mês Ver por semana Ver hoje Pesquisar Ir para o mês

São João de Ávila

Terça-feira, 10 Maio 2022por Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar.Visualizações : 844

10mai s. joao de avilaSão João de Ávila nasceu a 6 de janeiro de 1499 em Almodóvar del Campo, próximo de Toledo (Espanha) e faleceu a 10 de maio de 1569 em Montilla, Córdoba (Espanha).

São João de Ávila era filho de Alfonso de Ávila e de Catalina Xixón (ou Gijón), um casal rico e piedoso.

No ano de 1513 São João de Ávila foi enviado pelos pais para a Universidade de Salamanca a fim de direito, mas não sentindo no estudo das leis humanas o estímulo para a sua vida, São João de Ávila abandonou os estudos e regressou à cidade natal em 1517 sem se graduar.

Depois de voltar para casa, São João de Ávila passou os três anos seguintes em reflexão e penitência, passando muitas horas recolhido em frente ao sacrário onde era mantido o Santíssimo Sacramento. Um frade franciscano que na época passava por Almodóvar del Campo ficou impressionado com a santidade de São João de Ávila e aconselhou-o a terminar os seus estudos matriculando-se na Universidade de Alcalá de Henares. São João de Ávila matriculou-se em filosofia e teologia tendo como professor o frade dominicano Domingo de Soto. São João de Ávila voltou a abandonar os estudos antes de completar a licenciatura.

Ainda São João de Ávila estudava quando os seus pais faleceram. Tendo sido ordenado sacerdote na primavera de 1526 a sua primeira missa foi celebrada pela alma dos seus pais, na igreja onde estes foram enterrados. Nesse dia, São João de Ávila, vestiu e serviu a refeição a vários mendigos, tendo-se desfeito da fortuna que herdou dos pais (era herdeiro único) destinando-a aos pobres. A partir desse momento São João de Ávila passou a viver da caridade dos outros, de quem recebia esmolas para o seu sustento.

Depois São João de Ávila decidiu partir em trabalho missionário para o México. Para conseguir embarcar para as recém-descobertas Índias Ocidentais, viajou para Sevilha em janeiro de 1527 acompanhado do frade dominicano Julián Gardcés, nomeado primeiro bispo de Tlaxcala (a moderna Arquidiocese de Puebla de los Angeles). Enquanto esperava a data da sua partida a extrema devoção que São João de Ávila demonstrava na celebração da missa e a sua “habilidade” como catequista e pregador atraíram a atenção de Hernando de Contreras, um padre local, que falou no santo ao arcebispo de Sevilha e inquisidor-geral, Alonso Manrique de Lara.

O arcebispo Alonso Manrique de Lara viu no jovem clérigo São João de Ávila um poderoso instrumento para avivar novamente a fé cristã na Andaluzia e, depois de muito esforço, conseguiu persuadir São João de Ávila a abandonar sua viagem para a América.

Pensa-se que São João de Ávila tenha passado os primeiros anos depois de 1526 numa pequena casa em Sevilha, dividindo-a com outro sacerdote (provavelmente Contreras). Nessa casa os sacerdotes reuniram um considerável número de discípulos que, informalmente, viviam como uma comunidade fraternal. Em 1527 e a pedido de Sancha Carrillo (irmã de um destes discípulos), São João de Ávila começou a escrever a sua obra "Audi, filia" (obra que continuou a aperfeiçoar até morrer).

Crê-se que o primeiro sermão de São João de Ávila na Andaluzia tenha ocorrido no dia 22 de julho de 1529. Rapidamente se estabeleceu na região a sua reputação de grande orador o que fez com que durante os nove anos de trabalho missionário na região, multidões enchessem as igrejas para escutar São João de Ávila.

Nos seus sermões São João de Ávila denunciava frequentemente o comportamento da aristocracia local e fazia insistentes pedidos por reformas. Alguns clérigos sentiram-se incomodados com a atuação como pregador e denunciaram São João de Ávila aos inquisidores de Sevilha em 1531. São João de Ávila ficou preso desde o verão de 1531 até julho de 1533 quando passou por um processo, no qual havia cinco denunciantes que o acusavam e 55 defensores.

Por volta do final de 1534 ou no início do ano seguinte, São João de Ávila foi incardinado (fazer parte dos sacerdotes da diocese) na Diocese de Córdoba e passou a receber um pequeno benefício. A cidade tornou-se a base de onde São João de Ávila comandava os seus discípulos e de onde partia para viagens por toda a Andaluzia, pregando e fundando escolas e universidades em várias cidades, principalmente Granada, Baeza, Montilla e Zafra. De especial importância foi a fundação da Universidade de Baeza, estabelecida em 1538 por uma bula papal de Paulo III, onde São João de Ávila foi o primeiro reitor. A Universidade de Baeza tornar-se-ia o modelo para os futuros seminários e para as escolas jesuítas.

Acredita-se que nesta época São João de Ávila terá concluído os seus estudos e recebido o título de mestre em teologia, provavelmente em Granada em 1538.

São João de Ávila permaneceu em Granada entre 1538 e 1539 no que parece ser alguma espécie de vida comunitária. De forma similar, entre 1546 e 1555, viveu com aproximadamente vinte discípulos em Córdoba, novamente dando a impressão de que tencionava fundar algum tipo oficial de fundação para sacerdotes apostólicos. Porém, a fundação e rápida expansão da Companhia de Jesus tornou o projeto impossível de ser realizado; de 1551 em diante, quando começou a sofrer de problemas de saúde, João passou a incentivar seus discípulos a se juntarem aos jesuítas (por volta de trinta aceitaram a sugestão).

A partir deste período, São João de Ávila esteve constantemente doente e passou os seus últimos anos semi-aposentado na cidade de Montilla, na província de Córdoba.

Quase cego, São João de Ávila morreu a 10 de maio de 1569 em Montilla. A seu pedido, foi enterrado ali mesmo, na Igreja Jesuíta da Encarnação, que atualmente serve como santuário à sua memória.

São João de Ávila foi canonizado a 31 de maio de 1970 pelo Papa Paulo VI.

São João de Ávila rogai por nós!

Voltar

Autenticação

Registar

*
*
*
*
*
*

Fields marked with an asterisk (*) are required.

Liturgia

Secretariado Nacional de Liturgia

Agenda Litúrgica
  • S. Brígida, religiosa, Padroeira da Europa – FESTA Branco – Ofício da festa. Te Deum. Missa própria, Glória, pf. dos Santos. L 1 Gal 2, 19-20; Sal 33, 2-3. 4-5. 6-7. 8-9. 10-11 Ev Jo 15, 1-8 * Na Diocese de Viseu – Aniversário da Dedicação da Igreja Catedral. Na Sé – SOLENIDADE; nas outras igrejas da Diocese – FESTA * Na Ordem Franciscana (II Ordem) – B. Cunegundes, religiosa, da II Ordem – MF * Nas Dioceses de Cabo Verde – Ofício e Missa da féria.

Próximos Eventos

Não foram encontrados eventos

Santo do dia

Sex. Jul. 23
Santa Brígida

Diocese do Algarve

Diocese do Algarve

Website Oficial da Diocese do Algarve

Horário de visitas da Igreja de S. Lourenço

Pode visitar a Igreja de S. Lourenço nos seguintes horários

 

De 15 de Abril a 15 de Outubro (Horário de Verão)

 Segunda-feira: 15h00 - 18h00

Terça-feira a Sábado: 10h00 - 13h00 e 15h00 - 18h00

 

De 16 de Outubro a 14 de Abril (Horário de Inverno)

Segunda-feira: 15h00 - 17h00

Terça-feira a Sábado: 10h00 - 13h00 e 15h00 - 17h00

 

 Ao Domingo encontra-se encerrada para visitas.

Entradas pagas

Visitas

Visitas
3945
Artigos
5
Favoritos web
18