Vida dos Santos

Calendário de Eventos

Ver por ano Ver por mês Ver por semana Ver hoje Pesquisar Ir para o mês

São Martinho I

Terça-feira, 13 Abril 2021por Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar.Visualizações : 2299

13Abr S. Martinho ISão Martinho I, nasceu em Todi (Itália) provavelmente no ano de 590 e faleceu a 16 de setembro de 655 em Quersoneso (atual Kherson, Ucrânia). Não se sabe muito sobre sua juventude e formação religiosa.

São Martinho I foi eleito Sumo Pontífice a 13 de maio de 649 e sucedeu ao Papa Teodoro. Assim que foi eleito São Martinho I passou a dirigir a Igreja com a mão forte da disciplina que o período exigia, pois nessa época, os detentores do poder achavam que podiam interferir na Igreja, como se a doutrina da Igreja devesse submissão ao Estado. São Martinho I assumiu o pontificado mesmo antes da sua eleição ter sido referendada pelo imperador Constante II.

Um ano antes, em 648, o imperador Constante II tinha publicado o documento “Tipo”, que apoiava as teses hereges do cisma dos monotelitas, os quais negavam a condição humana de Cristo, o que se opõe às principais raízes do cristianismo. Para barrar a difusão dessa heresia, três meses após sua eleição, o Papa Martinho I convocou, na Basílica de São João de Latrão, um concílio para o qual foram convidados todos os bispos do Ocidente.

O concílio teve cinco sessões solenes, nas quais foram condenadas, definitivamente, todas as teses monotelitas, provocando a ira do imperador Constante II.

O imperador ordenou a Olímpio, exarca (autoridade bizantina que governava a península Itálica ou a África, na qualidade de representante do imperador do Oriente, após a queda do Império Romano do Ocidente) de Ravena (Itália), que fosse a Roma e prendesse o papa Martinho I. Olímpio querendo agradar ao poderoso imperador, resolveu ir além das ordens e planeou matar São Martinho I. Durante o momento da comunhão numa celebração da missa em Santa Maria Maior (Roma, Itália) o escudeiro de Olímpio puxou um punhal para executar o plano. Nesse mesmo instante o assassino ficou cego e fugiu apavorado. Impressionado, Olímpio aliou-se a São Martinho I e projetou uma luta armada contra Constantinopla. Mas o Papa Martinho I perdeu a sua defesa militar porque Olímpio morreu no ano de 653 com peste.

Assim o imperador pode cumprir a sua vingança, fazendo com que o novo exarca de Ravena, Teodoro Calíopa, prendesse o papa Martinho I, pedindo a sua transferência para que o julgamento se desse em Bósforo, estreito que separa a Europa da Ásia, próximo a Istambul, na Turquia. São Martinho I foi acusado de ter-se apossado ilegalmente do alto cargo de sumo pontífice e de haver planeado uma guerra com Olímpio contra Constantinopla. A longa viagem por via marítima, durou quinze meses e foi o início de um martírio cruel. Durante as numerosas escalas, a nenhum dos inúmeros fiéis que foram encontrar-se com o Papa Martinho I foi concedido aproximar-se dele. Ao prisioneiro São Martinho I não era dada nem água para se lavar. Chegando a Constantinopla a 17 de setembro de 654, o papa Martinho I ficou estendido numa cama na rua pública recebendo os insultos do povo durante um dia inteiro, antes de ser fechado por três meses na prisão Prandiária. Depois iniciou-se o longo e exaustivo processo, durante o qual os sofrimentos foram tão grandes a ponto de o acusado murmurar: “Façam de mim o que quiserem; qualquer morte será para mim um benefício”.

Humilhado publicamente, despido e exposto aos rigores do frio, carregado de correntes, São Martinho I foi fechado na cela reservada aos condenados à morte. A 16 de março de 655 fizeram-no partir secretamente para o exílio em Quersoneso, na Crimeia, numa viagem que durou dois meses. São Martinho I sofreu fome e o seu corpo foi-se enfraquecendo no mais absoluto abandono durante outros quatro meses, até vir a falecer a 16 de setembro de 655.

Foi durante o papado de São Martinho I que se celebrou pela primeira vez a festa da "Virgem Imaculada", a 25 de março. São Martinho I passou mais de três anos, dos seus seis anos de pontificado, no exílio e na prisão. Foi o último papa a ser martirizado.

 

São Martinho I, rogai por nós!

 

Voltar

Autenticação

Registar

*
*
*
*
*
*

Fields marked with an asterisk (*) are required.

Liturgia

Secretariado Nacional de Liturgia

Agenda Litúrgica
  • S. João de Ávila, presbítero e doutor da Igreja – MF Branco – Ofício da féria ou da memória. Missa da féria ou da memória, pf. pascal. L 1 At 16, 11-15; Sal 149, 1-2. 3-4. 5-6a e 9b Ev Jo 15, 26 – 16, 4a * Na Ordem Hospitaleira de S. João de Deus – S. João de Ávila, presbítero e doutor da Igreja, Diretor Espiritual de S. João de Deus – MO * Na Ordem de São Domingos – S. Antonino de Florença, bispo – MO * Na Congregação dos Sagrados Corações – S. Damião de Veuster, apóstolo dos leprosos – MO * Na Congregação da Missão e na Companhia das Filhas da Caridade – S. Luísa de Marillac, religiosa cofundadora – SOLENIDADE (transferida) * No Instituto das Filhas de Maria Auxiliadora – S. Maria Domingas Mazzarello, virgem, cofundadora do Instituto – SOLENIDADE (transferida)

Próximos Eventos

Não foram encontrados eventos

Diocese do Algarve

Diocese do Algarve

Website Oficial da Diocese do Algarve

Horário de visitas da Igreja de S. Lourenço

Pode visitar a Igreja de S. Lourenço nos seguintes horários

 

De 15 de Abril a 15 de Outubro (Horário de Verão)

 Segunda-feira: 15h00 - 18h00

Terça-feira a Sábado: 10h00 - 13h00 e 15h00 - 18h00

 

De 16 de Outubro a 14 de Abril (Horário de Inverno)

Segunda-feira: 15h00 - 17h00

Terça-feira a Sábado: 10h00 - 13h00 e 15h00 - 17h00

 

 Ao Domingo encontra-se encerrada para visitas.

Entradas pagas

Visitas

Visitas
3945
Artigos
5
Favoritos web
18