Vida dos Santos

Calendário de Eventos

Mês anterior Dia anterior Dia seguinte Próximo mês
Ver por ano Ver por mês Ver por semana Ver hoje Pesquisar Ir para o mês

São Jorge

Terça-feira, 23 Abril 2019por Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar.Visualizações : 1818

23Abr S. JorgeHoje celebramos São Jorge. Não há certezas em relação a São Jorge pois embora se trate de uma pessoa real, as origens deste mártir tão enobrecido pela hagiologia são confusas e incertas. O Breviário Romano não narra a história do santo, pois o Papa Gelásio I (492 a 496 d.C.) foi ao ponto de proibir que se lessem suas atas por as considerar apócrifas e imbuídas de erros. Desde a sua morte que São Jorge é conhecido como “o grande mártir”.

Pensa-se que São Jorge terá nascido, no seio duma família cristã, por volta do ano 275, na antiga região da Capadócia (atualmente parte da Turquia). Gerôncio, o pai de São Jorge era militar e faleceu numa batalha. Após a morte do pai, São Jorge e a sua mãe, chamada Policrômia, mudaram-se para a Terra Santa. A sua mãe era originária de Lida, na Palestina. Era uma mulher que possuía instrução e muitos bens. Ela conseguiu dar ao filho Jorge uma educação esmerada.

Ao atingir a adolescência, São Jorge entrou para a carreira das armas, por ser a que mais satisfazia o seu temperamento naturalmente combativo.

Rapidamente São Jorge foi promovido a capitão do exército romano devido a sua dedicação e habilidade — qualidades que levaram o imperador a conferir a São Jorge o título de conde da província da Capadócia. Aos 23 anos São Jorge passou a residir na corte imperial em Nicomédia. São Jorge continuou a ascender na carreira e, antes de atingir os 30 anos foi nomeado Tribuno Militar (patente de oficial) e Comes (guarda pessoal do imperador) entre os anos 284 e 305. Enquanto guarda pessoal do imperador Diocleciano, São Jorge começou a ver a crueldade com que os cristãos eram tratados pelo império romano, que ele servia.

Depois disso quando a mãe de São Jorge morreu, o santo herdou todos os bens que lhe pertenciam e distribuiu-os pelos pobres, causando surpresa na corte imperial, que desconhecia a fé cristã de São Jorge.

No ano de 302 ou 303 o imperador Diocleciano (influenciado por Galério – outro imperador romano) publicou um édito que mandava prender todos os soldados romanos cristãos e que todos os outros deveriam oferecer sacrifícios aos deuses romanos. No dia em que o senado confirmaria o decreto do imperador que autorizaria a eliminação dos cristãos, São Jorge levantou-se na tribuna e declarou-se espantado com esta decisão, que julgava absurda. São Jorge disse ainda que os romanos é que deveriam assumir o cristianismo nas suas vidas. Todos ficaram muito surpreendidos quando ouviram palavras como essas vindas da boca de um membro da suprema corte de Roma.

O imperador não querendo perder um de seus melhores tribunos tentou dissuadi-lo oferecendo-lhe terras, dinheiro e escravos. Como São Jorge se mantinha fiel ao cristianismo, o imperador tentou fazê-lo desistir da fé torturando-o de vários modos.

São Jorge foi preso, depois açoitado severamente, permanecendo sem chorar ou gritar. Como São Jorge ainda estava vivo, enterraram-no num poço cheio de cal viva. Antes de ser enterrado vivo São Jorge rezou dizendo: “Deus, escuta a minha oração. Fazei com que vos ame sempre e enviai vosso anjo para que me liberte agora como um dia o fizestes com os três jovens que um rei mau prendeu num forno aceso”. Depois enterraram-no enquanto São Jorge fazia o sinal da cruz. Passados três dias desenterraram-no e viram que permanecia vivo e adorando o seu Deus. Vendo isto, queimaram-lhe os pés, deram-lhe veneno, mas São Jorge permanecia vivo.

Depois de cada tortura, São Jorge era levado de volta ao imperador que lhe perguntava se abandonaria a fé cristã. São Jorge após cada tortura reafirmava a sua fé, cada vez com mais coragem. Muitos romanos ao presenciarem estes fatos, converteram-se à fé em Jesus Cristo, inclusive a mulher do imperador. Diocleciano, vendo que não conseguiria dissuadir São Jorge da sua fé, mandou degolá-lo.

São Jorge foi degolado no dia 23 de abril do ano 303.

São Jorge é representado montado em cima dum cavalo branco e lutando com um dragão. Esta representação resulta duma lenda associada ao santo e que não conseguimos apurar em que ano terá acontecido. De acordo com esta lenda, São Jorge montou um acampamento com a legião romana que comandava numa região próxima a Salone, Líbia, no norte da África.

Existia por lá um enorme dragão com asas. Diziam que o hálito da terrível criatura era tão venenoso que qualquer um que se aproximasse poderia morrer por envenenamento. Com o intuito de manter o dragão longe da cidade, os habitantes ofereciam ao animal, ovelhas como alimento. Ao acabarem, começaram a oferecer crianças.

De forma a escolherem quem seria sacrificado os habitantes faziam um sorteio. Certo dia o sacrifício caiu Sabra, uma menina de 14 anos e que era filha do rei. A menina foi em direção ao seu cruel destino e deixou a muralha da cidade, ficando à espera da criatura. São Jorge, que se encontrava por perto e ao ouvir a história, montou o seu cavalo branco e partiu para a batalha.

Depois de muita luta e oração, São Jorge acertou na cabeça do dragão com a sua espada e depois, São Jorge cravou a espada debaixo da asa do dragão, num local que tinha escamas. Assim, o dragão foi ferido mortalmente e caiu sem vida. São Jorge amarrou a fera e a levou arrastada até a cidade, levando consigo a princesa. Na cidade São Jorge cortou a cabeça do dragão.

Ao verem que São Jorge tinha conseguido matar o dragão todas as pessoas da cidade se converteram ao cristianismo.

A partir de 1969 a memória de São Jorge no calendário litúrgico tornou-se facultativa, pois a reforma promovida pelo Papa Paulo VI retirou do calendário os santos dos quais não havia documentação histórica.

São Jorge é padroeiro dos soldados, cavaleiros, fazendeiros e agricultores; dos países de Inglaterra, Portugal (orago menor), Geórgia, Lituânia, Sérvia, Montenegro e Etiópia.

 

São Jorge rogai por nós!

Voltar

Autenticação

Registar

*
*
*
*
*
*

Fields marked with an asterisk (*) are required.

Liturgia

Secretariado Nacional de Liturgia

Agenda Litúrgica
  • Verde – Ofício do domingo (Semana IV do Saltério). Te Deum. + Missa própria, Glória, Credo, pf. dominical. L 1 Jer 38, 4-6. 8-10; Sal 39 (40), 2-3. 4. 18 L 2 Hebr 12, 1-4 Ev Lc 12, 49-53 * Proibidas as Missas de defuntos, excepto a exequial. * Em todas as Dioceses de Portugal – Ofertório para a Pastoral da Mobilidade Humana (Migrações, Apostolado do Mar, Obra Nacional da Pastoral dos Ciganos e Refugiados). * Na Congregação de Nossa Senhora da Caridade do Bom Pastor – I Vésp. de S. João Eudes. * II Vésp. do domingo – Compl. dep. II Vésp. dom.

Próximos Eventos

Não foram encontrados eventos

Diocese do Algarve

Diocese do Algarve

Website Oficial da Diocese do Algarve

Ecclesia

Agência ECCLESIA

Agência de Informação
  • Programa 70X7 de 18 de Agosto de 2019 The post Visita ao Paço Episcopal de Faro appeared first on Agência ECCLESIA.

  • Francisco diz que vida cristã exige coerência e critica atitudes de «hipocrisia» The post Vaticano: Papa elogia jovens que se dedicam a ações de voluntariado nas férias appeared first on Agência ECCLESIA.

  • ACEGE deixa mensagem de agradecimento Lisboa, 18 ago 2019 (Ecclesia) – A ACEGE, Associação Cristã de Empresários e Gestores, lamentou o falecimento de Alexandre Soares dos Santos, ex-presidente do grupo Jerónimo Martins, que morreu esta sexta-feira aos 84 anos de idade. “A ACEGE expressa publicamente a sua homenagem ao senhor Alexandre Soares dos Santos agradecendo […] The post Sociedade: Empresários e gestores cristãos lamentam morte de Alexandre Soares dos Santos appeared first on Agência ECCLESIA.

Horário de visitas da Igreja de S. Lourenço

Pode visitar a Igreja de S. Lourenço nos seguintes horários

 

De 15 de Abril a 15 de Outubro (Horário de Verão)

 Segunda-feira: 15h00 - 18h00

Terça-feira a Sábado: 10h00 - 13h00 e 15h00 - 18h00

 

De 16 de Outubro a 14 de Abril (Horário de Inverno)

Segunda-feira: 15h00 - 17h00

Terça-feira a Sábado: 10h00 - 13h00 e 15h00 - 17h00

 

 Ao Domingo encontra-se encerrada para visitas.

Entradas pagas

Onde Estamos

Visitas

Visitas
3945
Artigos
3
Favoritos web
18