Vida dos Santos

Calendário de Eventos

Mês anterior Dia anterior Dia seguinte Próximo mês
Ver por ano Ver por mês Ver por semana Ver hoje Pesquisar Ir para o mês

Beata Maria da Encarnação

Quarta-feira, 18 Abril 2018por Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar.Visualizações : 1625

18Abr Maria da EncarnaçãoBeata Maria da Encarnação nasceu a 1 de fevereiro de 1566 em Paris e faleceu a 18 de abril de 1618 em Pontoise. Era filha de Nicolau Avrillot, Senhor de Champstreaux e de Marie Lhuillier. Beata Maria da Encarnação foi baptizada como Bárbara Avillot.
Era costume para a nobreza da época, confiar a educação das meninas ou adolescentes a congregações religiosas femininas. Assim a beata Maria da Encarnação foi confiada às Irmãs Menores de Nossa Senhora da Humildade, residentes de Longchamp. Regressou à casa da família aos 14 anos e o seu desejo de fazer-se religiosa não foi autorizado pelos seus pais.
Aos 16 anos casou com Pedro Acarie, Visconde de Villemor, Senhor de Montbrost e de Roncenay, proprietário de muitas terras, muito atuante na política da corte e cuja influência era tão forte quanto a de sua família, homem de costumes irrepreensíveis.
O casal teve seis filhos. A Beata Maria da Encarnação era uma excelente mãe e esposa, e vivia de acordo com os mandamentos de Deus, enfrentando os deveres na administração do lar, e colocando a família no caminho da santidade. Aos empregados pagava mais do que o salário convencional. Visitava os pobres, viúvas e enfermos e instruía na doutrina cristã as crianças. Com o seu bom exemplo a Beata Maria da Encarnação influenciava as esposas de outros nobres que eram heréticos, convertendo a muitos ao catolicismo.
Beata Maria da Encarnação era incansável no auxílio aos necessitados, especialmente durante o assédio de Paris pelo rei Henrique IV, em 1590, durante as guerras religiosas em que se enfrentaram os católicos e os huguenotes, com a intervenção militar dos espanhóis. A beata Maria da Encarnação participou das ações contra a heresia protestante que procurava estender-se na França. O rei Henrique IV, protestante, após desfazer a Liga Católica à qual o marido da beata Maria da Encarnação pertencia, mandou-o para o exílio e confiscou todos os seus bens. Foram quatro anos de várias atribulações financeiras e de aflição de espírito. Porém a beata não se abateu, tomou a defesa do marido, não se detendo até provar a inocência dele e reaver todos os bens.
A casa da Beata Maria da Encarnação torna-se um centro de cultura católica e de promoção e resgate dos valores cristãos na sociedade parisiense. Neste mesmo tempo o seu marido, Pedro Acarie, deixa-lhe a administração e pede-lhe que seja ela a encarregar-se dos bens e das visitas inumeráveis que recebem e que vem por sua causa.
Nesse período a beata Maria da Encarnação conheceu São Francisco de Sales, (http://www.paroquia-almancil.pt/utilidades/vida-dos-santos/icalrepeat.detail/2018/01/24/6302/-/s%C3%A3o-francisco-de-sales.html) o qual aprova a sua atitude e comportamento, vindo a tornar-se o seu diretor espiritual.
A 13 de abril de 1598 é anunciado o Édito de Nantes que tolera o protestantismo, causando muito sofrimento aos Acarie (família da beata Maria da Encarnação). Em 1601, beata Maria da Encarnação conhece a vida e obra de Santa Teresa de Jesus (http://www.paroquia-almancil.pt/utilidades/vida-dos-santos/icalrepeat.detail/2018/10/15/51299/-/santa-teresa-de-jesus.html). Tem visões da santa que lhe pede para esforçar-se para trazer à França as Carmelitas Descalças, mesmo que os tempos fossem difíceis para as congregações religiosas e fossem proibidas novas fundações na França. Beata Maria da Encarnação insiste diante do rei e do arcebispo de Paris, mas não consegue nada. Como era mulher espiritual e muito conhecida nos círculos intelectuais católicos, Beata Maria da Encarnação consultou o seu primo, o futuro cardeal de Berulle, o cartuxo D. Beaucosin e o seu diretor espiritual, Andrés Duval, que se tornarão seus apoios. Estes pedem-lhe que espere tempos melhores. Numa nova visão Santa Teresa de Jesus volta a insistir, dizendo que para o bem do Carmelo, da Igreja e da França, dariam frutos de santidade.
Com a ajuda de São Francisco de Sales em 1602 a Beata Maria da Encarnação acolheu as primeiras vocações, obteve a autorização do rei, que tinha por ela uma grande consideração, e em 1603 o papa Clemente VIII enviou-lhe a autorização para a fundação e ela pode construir o primeiro mosteiro carmelita em França.
Em 29 de agosto de 1604, seis Carmelitas Descalças espanholas, entre as quais a futura Beata Ana de São Bartolomeu e a uma futura Serva de Deus, Ana de Jesus, chegaram a Paris e no dia 17 de outubro do mesmo ano foi iniciada a vida monástica naquela cidade. Iniciando assim uma forte influência na espiritualidade católica de seu tempo, a beata Maria da Encarnação teve a felicidade de ver a Ordem expandir-se para Pontoise, Dijon, Amiens nos anos 1605/1606, e três das suas filhas ingressarem no Carmelo de Amiens.
No ano de 1613 o seu esposo adoeceu gravemente e depois de nove dias morreu. Com os filhos criados e sem compromissos para com a família, a beata entra como conversa no Carmelo de Amiens onde estavam suas filhas, dia 7 de abril de 1614, tomando o nome de Maria da Encarnação.
Beata Maria da Encarnação viveu a sua vida de clausura com humildade, trabalhando na cozinha, atendendo as irmãs doentes. Teve muitos êxtases e visões que a confortavam nas suas longas doenças e provações. Manteve-se sempre ativa e preparada para discussões sobre o tema da fé e sempre humilde e afetuosa como simples carmelita de sua comunidade.
A 7 de dezembro de 1616 foi transferida para o Carmelo de Pontoise, onde viveria por dois anos. Beata Maria da Encarnação faleceu a 18 de abril de 1618 com uma infeção pulmonar.
Foi beatificada pelo Papa Pio VI a 5 de junho de 1791.

Voltar

Autenticação

Registar

*
*
*
*
*
*

Fields marked with an asterisk (*) are required.

Liturgia

Secretariado Nacional de Liturgia

Agenda Litúrgica
  • Verde – Ofício da féria. Missa à escolha (cf. p. 18, n. 18). L 1 Prov 21, 1-6. 10-13; Sal 118 (119), 1 e 27. 30 e 34. 35 e 44 Ev Lc 8, 19-21 * Na Ordem dos Carmelitas Descalços – B. Josefa Naval Girbés, virgem secular – MF

Próximos Eventos

Não foram encontrados eventos

Diocese do Algarve

Diocese do Algarve

Website Oficial da Diocese do Algarve

Ecclesia

Agência ECCLESIA

Agência de Informação
  • Mensagem de Marcelo Rebelo de Sousa deixa «recomendações e alertas societais» Coimbra, 24 set 2018 (Ecclesia) – O presidente da República Portuguesa enviou uma “mensagem de apoio” á Cáritas Diocese de Coimbra, no âmbito da Rede Temática SHAFE da Comissão Europeia, com “várias recomendações de trabalho e alertas societais” “O desafio que é lançado através do […]

  • Faro, 24 set 2018 (Ecclesia) – A Diocese do Algarve apresentou este sábado as linhas programáticas para 2018/2019, sob o tema “Celebrar a família – Ser Igreja Missionária”, no segundo ano do programa trienal. A Assembleia Diocesana reuniu cerca de 460 representantes das paróquias, dos serviços e movimentos da igreja algarvia no salão paroquial de […]

  • Dirigentes «entusiasmados» para dar início às atividades diocesanas Portalegre, 24 set 2018 (Ecclesia) – O Movimento dos Cursos Cristandade, na Diocese de Portalegre-Castelo Branco, começou o novo ano pastoral 2018/2019 no ‘Encontro Nacional de Dirigentes’ do movimento, e já calendarizou as primeiras reuniões e ultreias. Num comunicado enviado à Agência ECCLESIA, o movimento realça que […]

Horário de visitas da Igreja de S. Lourenço

Pode visitar a Igreja de S. Lourenço nos seguintes horários

 

De 15 de Abril a 15 de Outubro (Horário de Verão)

 Segunda-feira: 15h00 - 18h00

Terça-feira a Sábado: 10h00 - 13h00 e 15h00 - 18h00

 

De 16 de Outubro a 14 de Abril (Horário de Inverno)

Segunda-feira: 15h00 - 17h00

Terça-feira a Sábado: 10h00 - 13h00 e 15h00 - 17h00

 

 Ao Domingo encontra-se encerrada para visitas.

Entradas pagas

Onde Estamos

Visitas

Visitas
3945
Artigos
2
Favoritos web
18