Vida dos Santos

Calendário de Eventos

Mês anterior Dia anterior Dia seguinte Próximo mês
Ver por ano Ver por mês Ver por semana Ver hoje Pesquisar Ir para o mês

Santa Luísa de Marillac

Quinta-feira, 15 Março 2018por Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar.Visualizações : 598

15Mar S. Luisa de MarillacSanta Luísa de Marillac nasceu a 12 de agosto de 1591, na França. Provavelmente foi adotada, sendo registrada como filha natural de Luis 1º de Marillac, cavaleiro e Senhor de Ferriéres-em-Brie e comandante de uma companhia do rei.

Aos 4 anos o seu pai envia-a para o Mosteiro Real de Saint-Louis de Poissy, das freiras dominicanas, onde recebeu uma esmerada educação.

Santa Luísa de Marillac era de constituição frágil, de baixa estatura, magra, bonita, nariz afilado, olhos expressivos, boca pequena. Dotada de grande capacidade intelectual e de vontade enérgica. Era muito sensível e inclinada ao escrúpulo, à timidez, à insegurança, minuciosa e perfeccionista, muito aberta às coisas de Deus e do próximo.

Santa Luísa de Marillac permaneceu no convento de Poissy até à morte do seu pai. O seu tio Miguel de Marillac, (chanceler da França) passa a ser o seu tutor e coloca Santa Luísa de Marillac num lar para meninas em Paris. Nessa época Santa Luísa de Marillac começa a frequentar as freiras capuchinhas, Filhas da Cruz. Ali a santa faz votos de servir a Deus e aos pobres. Ela sentia que esta era sua verdadeira vocação e o que mais desejava.

Porém o seu tutor Miguel de Marillac decide casá-la com um secretário dos comandantes da Rainha Mãe, Maria de Médicis. Assim, em fevereiro de 1613, Santa Luísa de Marillac casa-se com Antonio Le Gras com quem tem o filho a que coloca o nome de Miguel em homenagem ao seu tio.

Por volta do ano 1621 o seu marido adoece e Santa Luísa de Marillac fica sempre a seu lado. Contudo, sente-se rejeitada por todos, até mesmo por Deus.

No dia 4 de junho de 1623 (dia de Pentecostes nesse ano) Santa Luísa de Marillac recebeu uma graça do Espírito Santo: o seu espírito foi iluminado e suas dores e tristezas desapareceram. Aí Santa Luísa de Marillac compreendeu que deveria ficar com o seu marido e cuidar dele até quando ele morresse. Deveria também cuidar do seu filho até poder enviá-lo para as pensões dos filhos dos nobres, onde ele seria bem cuidado e educado. Depois disso, Luísa de Marillac teria tempo para cumprir a sua vocação de ajudar os mais necessitados.

Em 1625 o marido veio a falecer, na paz, depois de muita revolta e intranquilidade e Santa Luísa de Marillac encontra o encontra o Padre Vicente (http://www.paroquia-almancil.pt/utilidades/vida-dos-santos/icalrepeat.detail/2018/09/27/54404/-/s%C3%A3o-vicente-de-paulo.html), ela tem 34 anos, é uma viúva angustiada, inquieta na busca da vontade de Deus, com uma vida de oração toda estruturada em exercícios, em devoções, em jejuns e disciplinas.

Santa Luísa de Marillac coloca o filho numa pensão em Saint- Nicolas, como era costume na época. Os filhos dos nobres eram colocados nessas pensões, onde eram muito bem cuidados e educados. Isso tranquilizou o coração de Luísa de Marillac.

Depois, Luísa de Marillac vai trabalhar com São Vicente de Paulo, nas Damas da Caridade (obra fundada por São Vicente), ajudando diretamente aos pobres. São Vicente nomeou Luísa como inspetora das casas de caridade. Em março de 1634, com a ajuda e permissão do Padre Vicente, Santa Luísa de Marillac e mais quatro amigas fundam a Companhia das Filhas da Caridade. Em 1655 a santa consegue a aprovação da congregação com o Papa.

Santa Luísa de Marillac e S. Vicente de Paulo começam a fazer muita coisa: ajudam as crianças abandonadas, dão socorro às vítimas da guerra dos 30 anos, cuidam de doentes mentais, participam da criação do hospital do Santo Nome de Jesus e do Hospital Geral de Paris.

São Vicente, então, escreve a regra para as casas da caridade. Com essas palavras de São Vicente e com sua ajuda, Santa Luísa de Marillac funda várias casas das Irmãs de Caridade em várias cidades da França e também na Polónia, a pedido da Rainha Maria Gonzaga. Em 1652, quando a "peste" assolou a cidade de Paris, Santa Luísa e as irmãs tiveram grande trabalho para ajudar os doentes, de tal forma que não pararam um só momento.

No ano de 1660 Santa Luísa de Marillac sentia que seu fim estava se aproximando e queria ser assistida por São Vicente de Paulo. O seu desejo, porém, não aconteceu pois ele com 85 anos também estava muito doente, São Vicente de Paulo apenas lhe conseguiu enviar uma bênção.

Santa Luísa de Marillac faleceu a 15 de março de 1660.

Foi canonizada pelo Papa Pio XI a 11 de março de 1934 e declarada patrona das Obras Sociais pelo Papa João XXIII no ano de 1960.

 

Santa Luísa de Marillac rogai por nós!

Voltar

Autenticação

Registar

*
*
*
*
*
*

Fields marked with an asterisk (*) are required.

Liturgia

Secretariado Nacional de Liturgia

Agenda Litúrgica
  • Roxo ou rosa – Ofício próprio (Semana III do Saltério). Te Deum. + Missa própria, Credo, pf. I do Advento. L 1 Sof 3, 14-18a; Sal Is 12, 2-3. 4bcd. 5-6 L 2 Filip 4, 4-7 Ev Lc 3, 10-18 * Proibidas todas as Missas de defuntos, mesmo a exequial. * Pode usar-se, neste domingo, a cor de rosa (IGMR 346 f: EDREL 1256 f). * Na Diocese de Lamego – Ofertório para a Obra da Catequese. * II Vésp. do domingo – Compl. dep. II Vésp. dom.

Próximos Eventos

Não foram encontrados eventos

Santo do dia

Dom. Dez. 16
Beata Maria dos Anjos
Dom. Dez. 16
Santa Adelaide
Seg. Dez. 17
Eglantynne Jebb
Seg. Dez. 17
São João da Mata
Seg. Dez. 17
São Lázaro

Diocese do Algarve

Diocese do Algarve

Website Oficial da Diocese do Algarve
  • A paróquia de Albufeira realiza há já alguns anos uma exposição de presépios construídos pelas crianças, adolescentes e jovens da sua catequese com a colaboração das respetivas famílias. A edição deste ano foi ontem inaugurada na Biblioteca Municipal Lídia Jorge, onde ficará patente ao público até ao dia 6 do próximo mês de janeiro, com …

  • Em cada ano pastoral há sempre renovação nas comunidades religiosas presentes nas diversas dioceses. Neste ano de 2018/2019, na Igreja Católica algarvia cinco novas colaboradoras consagradas que vieram ajudar no trabalho pastoral, sendo que duas delas já tinham trabalhado no Algarve. Uma das regressadas à diocese algarvia é a irmã Maria de Lurdes da Costa, …

  • O Secretariado Regional do Algarve da CIRP – Conferência dos Institutos Religiosos de Portugal abriu o seu programa de atividades deste ano pastoral de 2018/2019 com um encontro de recoleção para os consagrados – sacerdotes, irmãos ou irmãs, pertencentes a um(a) instituto/congregação religioso(a) – a trabalhar na Igreja do Algarve. A iniciativa teve lugar no …

Ecclesia

Agência ECCLESIA

Agência de Informação

Horário de visitas da Igreja de S. Lourenço

Pode visitar a Igreja de S. Lourenço nos seguintes horários

 

De 15 de Abril a 15 de Outubro (Horário de Verão)

 Segunda-feira: 15h00 - 18h00

Terça-feira a Sábado: 10h00 - 13h00 e 15h00 - 18h00

 

De 16 de Outubro a 14 de Abril (Horário de Inverno)

Segunda-feira: 15h00 - 17h00

Terça-feira a Sábado: 10h00 - 13h00 e 15h00 - 17h00

 

 Ao Domingo encontra-se encerrada para visitas.

Entradas pagas

Onde Estamos

Visitas

Visitas
3945
Artigos
2
Favoritos web
18